03 jul

E o frio está começando a dar as caras, e no inverno quer coisa melhor que se aquecer em frente à lareira? Pois bem, vamos explicar hoje os tipos de lareira existentes e qual a mais adequada para cada ambiente e necessidades.

Antes de começarmos vamos analisar o funcionamento de uma lareira, pois ele está associado a sua utilização e também manutenção, pois uma boa lareira não pode deixar que a fumaça invada o ambiente e não permita perda de calor, por este motivo é importante ter um bom profissional que faça o projeto e o dimensionamento adequado para cada espaço.

A estrutura da lareira é composta da seguinte forma:

- “Boca”: a chamada “boca” da lareira é a abertura dela para o ambiente, normalmente retangular ou quadrada a base ao fundo da “boca” apresenta uma parede inclinada, que é destinada a empurrar as ondas de calor em direção ao piso do ambiente, assim o ar quente gerado ( lembrando que o ar quente sempre tende a subir) faz aumentar a temperatura do ambiente. É muito importante o uso de massa ou cimento refratário ao rejuntar a lareira, para poder aguentar às altas temperaturas.

- Coifa e duto: localizada logo acima da “boca” internamente, seu formato remete à um funil de ponta-cabeças, ele detém o ar frio que tende a vir do ambiente externo e também captura a fumaça que será expelida para fora. Nessa etapa é fundamental a “garganta” que é uma abertura cuja medida dever ser igual a área seccional do duto. A tubulação da coifa ou do duto deve ter o mesmo diâmetro da lareira até o telhado, em direção reta, caso se faça necessário um desvio deve-se ter o cuidado de deixar o duto subir ao menos 1m de altura para depois fazer a curva. Recomenda-se também que a altura da chaminé fique ao menos 40 cm da cumeeira ( o ponto mais lato do telhado) e se possível mais alta quando houver outras casas ou árvores ao redor.

 

Lareira a lenha:

Deve ser feita em obra por uma mão-de-obra qualificada para que funcione perfeitamente , esses modelos podem ser de alvenaria ou metálicas. A queima da lenha gera fumaça, mas é a única opção que a chama crepita e o fogo gerado tem uma maior potência comparado à outros modelos.

Estar e Jantar JC    Eduardo_02

 

Lareira a gás:

O modelo funciona semelhante a um fogão, pois as chamas são emitidas por queimadores a gás. A instalação requer apenas um ponto de gás que pode ser puxado da cozinha por exemplo, ou por um botijão que é escondido quando se desenvolve o projeto.

Assim como a lareira convencional (a lenha), esta também precisa ser revestida com tijolos refratários para que a alvenaria suporte o calor.

www.dometal.com.br    waco-lareira-gas-aberta-pres

 

Lareira a álcool:

Também chamadas de lareiras ecológicas, as lareiras a álcool são funcionais e de fácil instalação. São alimentadas por um gel fluido composto de etanol e apresentam um rendimento aproximado de 3 horas por litro. Sua vantagem é adaptar-se facilmente em qualquer ambiente uma vez em que não precisa de duto/coifa.

lareira-alcool-100-ecologica-etanol-14456-MLB4010605068_032013-F    ???????????????????????????????

 

Lareira elétrica:

São lareiras bem parecidas com o funcionamento da lareira a gás, porém são mais artificiais uma vez em que não há queima de fogo. Seu funcionamento é mais parecido com o de aquecedores, exigindo a instalação de uma tomada dentro da lareira. O calor é produzido por resistência e transmitido ao ambiente por uma ventoinha que sopra o ar quente. Seus aquecimento é menor do que as lareiras a lenha ou a gás.

0039    Lareira-elétrica

 

 

Leave a Reply